Sem hipocrisia... O Desviado resolveu escrever!





        

Assim que tenho visto que não há coisa melhor do que alegrar-se o homem nas suas obras, porque essa é a sua porção; pois quem o fará voltar para ver o que será depois dele?  Eclesiastes 3:22

Vejo manifestações na internet e algumas com toda legitimidade e bem intencionadas tendo o apoio da minha consciência, mas sejamos sinceros, ao menos eu tentarei ser:

Como é bom e ao mesmo tempo traiçoeira a liberdade e oportunidade de expressão! Eu mesmo já fui duramente golpeado pela minha própria gana em querer gritar através das letras o que transborda minha mente.

Já errei e não pretendo me dar ao luxo de não vir a transgredir novamente, por esta razão, momentaneamente e ciente do risco implícito quero registrar aqui solilóquios do meu irrequieto coração.

Desejo sim um país com menos desigualdade social, melhor atendimento nas questões de moradia, saúde, segurança pública, emprego, etc., mas estou ansioso pela copa do mundo que se realizará ano que vem em nosso Brasil varonil, afinal, não é sempre que se pode ter um evento desses por aqui.

Desejo sim um país com menos corrupção na política, pois isento totalmente desse câncer será impossível enquanto gente for gente, mas quero também todos os anos poder ao menos assistir pela televisão o nosso bom carnaval que proporciona momentos de utopia, e quem não tem as suas fantasias?!

Desejo sim um país com menos meninos e meninas escravos das drogas, da prostituição, do abuso, da exploração e dos maus tratos paternos, mas quero também poder tomar minha cerveja gelada numa roda de samba ou assistir um programa de televisão sem conteúdo mesmo que seja na famigerada Rede Globo ou na tumultuada e rancorosa Rede Record, ciente de que não sou o salvador da pátria, mas que, com toda minha liberdade e sem crise de messianismo barato não me tornarei cínico e indiferente aos que sofrem, lutando no que estiver ao meu alcance para ao menos amenizar a sina daqueles que batem à porta da minha casa maltrapilhos e famintos.

Desejo sim um país sem sofrimentos, sem acidentes no trânsito, sem tragédias que dizimem centenas ou milhares de pessoas inocentes vítimas do descaso do poder público, mas igualmente trágico seria me perder dentro de mim mesmo incorporando a desumanidade inalcançável dos super-heróis da ficção me tentando a não ser gente com gente como a gente.

Desejo sim que toda forma de injustiça seja tenazmente coibida, mas não me negarei o deleite como mero mortal de me fartar com coisas não tão idealistas que satisfaçam minha transitória vaidade inofensiva expondo assim minha humanidade e solidariedade junto a outros que só querem o direito e a liberdade de aproveitarem o sopro de existir da maneira que julguem como a melhor, afinal como desabafou o sábio: “ ... vaidade de vaidades, tudo é vaidade.”

Distorcendo propositadamente o texto bíblico para alegria de alguns e amargura de outros: "Nem só de testa franzida viverá o homem, mas de todo sorriso que expressar o seu rosto!". 

Sem hipocrisia... Me descobri como ser humano, só isso!

Vai, pois, come com alegria o teu pão e bebe com coração contente o teu vinho, pois já Deus se agrada das tuas obras. Eclesiastes 9:7